Os Despojados, Vol. 1

Os Despojados, Vol. 1[Epub] ➚ Os Despojados, Vol. 1 By Ursula K. Le Guin – Oaklandjobs.co.uk No seu romance mais ambicioso e profético Ursula K Le Guin realizou um espantoso tour de force a arrebatadora história de Shevek um físico brilhante ue tenta reunir sozinho dois planetas separados No seu romance mais ambicioso e profético Ursula K Le Guin realizou um espantoso tour de force a arrebatadora história de Shevek um físico brilhante ue tenta reunir sozinho dois planetas separados um do outro por séculos de desconfiançaAnarres a pátria de Shevek é uma lua árida colonizada por uma civilização anaruista utópica Urras o planeta mãe é um mundo muito semelhante à Terra com as suas nações beligerantes grande pobreza e imensa riueza Shevek arrisca tudo numa corajosa visita a Os Despojados, MOBI :¼ Urras para aprender para ensinar para partilhar Mas a sua dádiva transforma se em ameaça e no conflito profundo ue daí resulta Shevek é forçado a reexaminar a sua filosofia de vida. Se procuram um bom livro de Ficção Científica estão diante de um deles Nada de batalhas com lasers e extra terrestres esuisitosTalvez a melhor ficção política ue já É mesmo um livro a não perder Adorei a primeira parte deste livro filosófico de Ursula K LeGuin Deveras interessante ficção científica com uma pitada de filosofia a anaruia versus o capitalismo Este livro é absolutamente espantoso Mais uma grande e incontornável referência da FC da grande UKLG Resolvi comentar estes livros juntos pois a versão original em inglês conta com apenas um volume Numa altura em ue os universos distópicos estão na moda com livros como Os Jogos da Fome Divergente União e Delirium é bom falarmos também dos universos distópicos ue além de serem mais antigos tem uma estrutura anormal ao típico romance distópico No típico mundo distópico as sociedades consideram se perfeitas e um modo de vida para o bem estar comum foi criado Em Panem as pessoas estão divididas em distritos em Chicago em facções em União e Delirium as pessoas estão separadas do mundo exterior por o mesmo ser sujo e imperfeito Em Os Despojados damos por nós em dois planetas com meios de vida opostos mas ue afirmam ambos ser a utopia Em Anarres não há nada uando Urras desistiu de colonizar esta sua lua deixou as pessoas para morrerem numa utopia em ue ninguém tem nada mas onde os bens e as pessoas circulam para o bem de todos Em Urras o dinheiro é rei e senhor sendo um planeta capitalista o poder está nas mãos daueles ue têm dinheiro No meio destes dois Shebek tenta sobreviver e perceber a diferença entre ambos e como duas utopias podem ser tão diferentes uma da outra Ursula Le Guin é das minhas autoras favoritas a sua escrita não é particularmente fácil e os seus livros não são muito conhecidos em Portugal Creio ue escreve melhor para adolescentes do ue para adultos mas a verdade é ue já ganhou inúmeros prémios com vários dos seus livros logo trata se apenas de uma uestão de gosto pessoal No entanto devo admitir ue as suas ideias tendem a ser bastante originais e a maneira como ela lida com as situações e personagens não é das mais comuns Esta história acaba por ser um bom exemplo dauilo ue falo Recomendo Ursula Le Guin para todos os amantes de ficção cientifica e para uem esteja interessado em ler sobre realidades distópicas Catarina Política entidade de género ética profissional relações pessoais este livro nem parece ter sido escrito em 1974 Num outro sistema solar e após uma revolução no planeta a resistência foi enviada para a lua passados 170 anos sem comunicarem um físico vota ao planeta com esperança de ue a proximidade da relação científica também haja uma aproximação dos povos mas as diferenças são abismais opinião sobre os 2 volumesOs Despojados é uma das obras mais emblemáticas de Ursula K Le Guin escrita em 1974 venceu vários prémios entre eles o Hugo e o Nebula dos mais importantes dentro da ficção especulativa mas obteve igualmente reconhecimento fora do âmbito da chamada genre fiction A história deste livro decorre em dois planetas fictícios Urras e Anarres O primeiro bastante semelhante à Terra é um planeta rico em termos de recursos naturais mas também marcado pelos constantes conflitos entre os seus povos; Anarres é a lua de Urras um planeta inóspito ue uma facção dissidente de urrasti decidiu colonizar a fim de lá implementar uma sociedade igualitária baseada no anaruismo e na partilha de bens Neste contexto o leitor toma contacto com a personagem central o físico anarresti Shevek ue no início do livro ruma a Urras tornando se assim o primeiro anarresti a fazê lo O livro alterna entre capítulos onde a ação decorre num e noutro planeta mas não de forma linear Em Anarres acompanhamos os acontecimentos da vida de Shevek antes de rumar a Urras; nos capítulos deste último percebemos como decorre a chegada a este novo planeta as dificuldades ue sentiu e todas as ilusões e desilusões ue experienciou O ue mais me agradou neste livro foi a riueza em termos de temas para reflexão Através da construção de dois mundos fictícios ou nem tanto assim pelo menos no ue respeita a Urras ue se posicionam praticamente em extremos opostos a autora faz com ue reflitamos na imperfeição de ambos e ue nos uestionemos sobre o ue realmente é a liberdade e o livre arbítrio do indivíduo inserido numa sociedade Dentro da temática social o livro foca também o tema da inevitabilidade da existência de estruturas de poder Mas os temas tratados vão muito para além disto reflete se sobre a importância dos recursos naturais e sobre a natureza das relações humanas já para não falar da importante teorias físicas sobre o tempo tema sobre o ual pouco percebo e ue me fez compreender um pouco pior certas secções do livro Durante praticamente toda a leitura senti ue as personagens e a forma como estes mundos foram construídos eram bastante reais e achei a escrita de Ursula K Le Guin muito acima da média Talvez não o tenha lido na fase mais propícia da minha vida mas ainda assim foi um livro ue me fez pensar e ue penso estar mais atual do ue nunca tendo em conta o contexto presente E dia a dia a vida é uma tarefa difícil cansas te perdes o padrão Precisas da distância do intervalo A maneira de ver como a Terra é bela é vê la da Lua A maneira de ver como a vida é bela é vê la do melhor miradouro a morte Um livro ue brilha pela forma intemporal como retrata os dilemas de encontrar a sociedade ideal com o euilíbrio na distruibuição de recursos A acompanhar isto uma escrita notável e um rol de personagens marcantes Recomendado